terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A Crise

Por estes dias desapareceu...ele é mais aviões da nova frota da TAG "novo rumo para a Europa com segurança a toda a prova" que largam bocados.  O tempo (tema recorrente sempre que chovem três pingas de água ou descem dois graus), as efemérides, leia-se Francisco Sá Carneiro e a gasolina.
Da crise nem uma palavra...foi-se. Eclipsou-se.
Mas a crise é afinal uma coisa bem enraizada nos hábitos de muitos.
Desde sempre que as como: em termos de ovo estrelado e batatas fritas... também há a crise dupla: tem dois ovos estrelados e uma maior dose de batatas fritas.
Em S. Martinho do Porto, terra de gente avisada e comedida, sempre houve crises. Matam a fome aos noctívagos, aos velejadores estafados de tanto arnês, aos adolescentes cansados da sandocha de pasta de atum. E são em conta.
Mas a coisa é tão rara for de tais círculos, que procuro aqui na internet uma imagem de crise e não aparece nenhuma...deve ser do hábito de uns e da falta dele de outros.

Sem comentários:

Publicar um comentário