Pesquisar no Blogue

domingo, 13 de novembro de 2011

Marcación



Ela imóvel no balanço, à espera. Marca-me!
O peso transposto de um para o outro lado e a indefinição do movimento, num abrazo de quase vento...
-Anda marca-me!
E o passo a desenhar-se-lhe ainda aberto, desalinhado...a fazê-lo forçar, sobre ela, o peso. Imenso, nos tornozelos...
-Marca-me Carlos! Marca-me!
Como se não houvesse compasso. Como se o espaço se desfizesse. A perna no prolongamento do tronco. Correcto e alinhado, mas estanque. Sem fôlego. Uma única brisa que lhe fechasse o abrazo...
-Carlos!!! La mirada!
E o desalinho dos olhos num silêncio, entre o acordéon...suplicantes...
-Un ocho! Hombre!
Por um pequeno espaço aberto. Um infímo lugar de mais nada. Entre o tronco dele e, a curva do pescoço dela. A palma da mão voltada para baixo. O passo dela, a recuar, a recuar...timidamente suspenso... e depois, abruptamente a firmeza explicita: para cruzar!
Uma leve pressão na alça do vestido e a "intenção", finalmente completa, num suspiro de Piazzola.
-Cierra ya!
E ele cerrou!
A musica fugia já pela janela...o veredicto de outros compassos a buzinar-lhe as emoções...no te entendi la marca...no me marcaste...
E o sorriso dela, e o abraço fechado e a marcación correcta e os passos por fora, no sentido dos ponteiros da noite que rodava e, rodava e, rodava, pela Rambla. Palco agora, de todas as estrelas.






Nota: Apesar de o tango ser uma dança essencialmente de "mirada" e "oído". Há uma série de sinais a reter. O mais importante é a marcación ou marca. Começa-se no balanço, onde se fixa o olhar. Depois a mulher espera a marcación...poderá apoiar ligeiramente a mão no peito do homem, para  a tentar adivinhar...a marcación é o impulso inicial,  que permite depois a resposta. Sem ela, a mulher ficará estática, à espera. Na maioria das vezes a primeira marcación é feita em frente. (passo longo ou curto, a dar diferentes espaços) poderá no entanto surpreender por uma saída firme pelas laterais, ou por um "declinar" à direita ou à esquerda. A marcacion é complementada por sinais nas costas da mulher, e pela intensidade do enlaçamento. O pior que pode acontecer no tango  é finalizar com um "não me marcaste" ou "não entendi a tua marcação". Quer dizer que a mulher não conseguiu perceber as intenções de dança. A condução não foi clara...e sem ela não há tango.

10 comentários:

  1. Quando a Indesejada das gentes chegar
    ...............
    Talvez eu tenha medo.
    Talvez sorria, ou diga:
    - Alô, iniludível!
    O meu dia foi bom, pode a noite descer.
    (A noite com seus sortilégios.)
    Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
    A mesa posta,
    Com cada coisa em seu lugar.

    (Manuel Bandeira)

    ResponderEliminar
  2. VMM de Souza,

    Não conhecia esse poema de Manuel Bandeira. Pouco divulgada e, cada vez menos, a poesia brasileira aqui.

    ResponderEliminar
  3. Olá, Filipa! Obrigada pela visita à Pausa do Tempo. Interessante o seu blog, parabéns!

    Um beijo desde o Rio de Janeiro,

    Valéria

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Valéria
    Muito bom a Pausa do Tempo. (Qualquer que ela seja...a dar-nos espaço, de outros "acontecidos").

    Bj

    ResponderEliminar
  5. George Sand,
    Magnifico o seu texto a partir do Tango de Borges.
    Um texto profundo e nada linear.
    Grata!
    Abraço. :)

    ResponderEliminar
  6. Obrigada Ana.
    A estética do Tango e as palavras de Borges,dois temas de que gosto.

    ResponderEliminar
  7. ...como eu desejo ir a Buenos Aires...

    Post excepcional, este.

    ResponderEliminar
  8. Hugo de Macedo,

    Buenissimo Aires! Pena que seja um bocadito fora de mão...
    Obrigada

    ResponderEliminar