segunda-feira, 22 de novembro de 2010

A minha vida...por um disco rigído

O computador "central" da "central"  cá de casa pifado. O wireless, atarantado. Os portáteis espalhados com os cabos a jeito de uma electrocução canina, a tentar recuperar o aparentemente, irrecuperável.  Nunca se sabe o que resta nos escombros de um disco rígido...
 O facebook, esse mordomo da adolescência,  perdido. Irremediavelmente? Esperemos que não!
Seriam todos os "adiccionados"... uma míriade de ratos mikeys e patos donalds, fruto da última moda cibernética, instalados nos quatro cantos do mundo e, dificilmente contactáveis por outro meio.
Se se vão, é para nunca mais mãe...que o e-mail também se perdeu. O Hi 5, eclipsou-se, o Ipod atarantou-se. O orkut...alguém sabe do orkut?! E os primos em S.Paulo, tadinos. Estavam à espera do trabalho de ciências...
Como?
Sim mãe, eles estão "a dar o mesmo" é só fazerem o down lowd lá. A mãe não percebe?...
Há choro e ranger de dentes na cozinha.
A culpa foi de um virús.
Alguém permitíu a intrusão do malandro.
Esgrimem-se argumentos. Procuram-se soluções. Soluça-se.
O Iraniano, girissimo, com noiva e cadillac dourado, aos 15 anos, sumiu-se.
Da Austrália e da China não se houve um único pio e lá, agora, até já é dia...ou será noite? Não interessa mãe, nos E.U.A. também não há ninguém on line. O number one aterrou?!? É só fazer as contas: ele aterrou. Garantidamente.
Aqui é que ninguém aterra há pelo menos meia hora...
A Yuri que faz anos na Moldávia já deve estranhar tanta demora...
_Mas o que é que a mãe está a fazer aí com esse portátil no meio do chão?
O cão apanhou o cabo da câmera, enfiou os auscultadores e saíu a correr. Se morde mais algum fio fica-se...
Corro! Tenho a cabeça a prémio. A vida suspensa...por um disco. Desculpem

Sem comentários:

Publicar um comentário