Pesquisar no Blogue

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Flores


Hoje, ofereço-me flores.
Um braçado delas,
A guardar numa jarra,
Com a água dos olhos,
que sabem olhar.

As cores vão mudar.
Eu sei.
Dos escarlates das sombras de Outono,
Aos restolhos pálidos, a saber a Estio
Mas as flores,
essas,
não as deixarei murchar.


9 comentários:

  1. De novo rendida, George Sand.

    Não murcharão, tenho a certeza, porque regadas com a sua sensibilidade e arte.

    Bjo

    Olinda

    ResponderEliminar
  2. Soberbo! Sem mais palavras para críticas ou opinião...

    ResponderEliminar
  3. Obrigada Olinda e Luís.

    Estas não murcham. Ficam na jarra do coração. Em água de olhos.

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito destas flores no começo do outono.
    Parabéns pela beleza do texto e da imagem.
    Ofereça-se sempre flores, "um braçado delas". :)

    ResponderEliminar