Pesquisar no Blogue

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Sinfonia de azul maior


Parou o tempo no cume da árvore mais alta.
1,2,3,4 segundos, de respiração ofegante.
Não fosse o vento e, o ar ficaria pasmado.
Ali,  num derradeiro silêncio, entrecortado pelo manso respirar das folhas que caíam...
A retina ,a clamar pela paleta, no faz de conta, sem horizonte.
Pelo canto dos olhos escorregou, o mar. Na procura incessante de uma foz. Sinfonia, de um azul maior...

9 comentários:

  1. George Sand,
    Tem razão a sua sinfonia em azul maior liga bem com a lágrima de Miró.
    Tão bonito o seu texto.
    Espero que as férias tenham sido agradáveis e repousantes e que a vista se tenha habituado ao azul do mar e ao branco da sua espuma.

    Que bom ter regressado. :)

    ResponderEliminar
  2. Tinha acabado de escrever esta sinfonia quando passei na sua lágrima de Miró. Complementam-se. Vou vindo aqui sempre que posso.
    Obrigada Ana

    ResponderEliminar
  3. Lindo amiga. A tua escrita a tua sensibilidade e a maneira como encaras a vida. A pessoa mais especial que eu conheci na vida. E obrigada por seres como és.
    A.M.G

    ResponderEliminar
  4. Adorei esta melodia. Obrigada por este ínicio de dia

    ResponderEliminar
  5. Obrigada Fernanda. Um bom dia para ti Também.
    A.M.G....demorei a perceber quem eras. Obrigada amiga!

    ResponderEliminar
  6. Uma alma sensível, atenta ao essencial,é o que leio.Muito bom

    ResponderEliminar