Pesquisar no Blogue

sábado, 17 de dezembro de 2011

Enrola-te no meu abraço



Quase sempre era assim. Adormecia sereno, para acordar depois, entre o breu e a madrugada  no meio de um turbilhão de vozes, que lhe escorriam da almofada para os ouvidos e, lhe alcançavam, sem dó, o meio do coração.
Frases e frases. Ditos que se entrelaçavam debaixo do corpo e lhe roubavam  alguns sorrisos, que se escondiam depois, aos pares, nas dobras do lençol.
Sabia que eram sonhos. Apenas e só sonhos.
Afundava mais  a cabeça na almofada. Repensava as rotinas e tentava adormecer de novo.
Até que um dia, acordou e tinha vírgulas espalhadas. Uma montanha de vírgulas, que tentou sem êxito sacudir.
Puxou o edredon para baixo e ali estava, juntamente com muitas mais vírgulas,  como mancha em papel mata borrão: "enrola-te no meu abraço".
Não havia mais remédio que por a roupa para lavar. As vírgulas às voltas na tombola transparente. A frase sumida em bolhas de detergente, com todos os aditivos.
Cama lavada. O fresco da cama lavada...um sono de sonhos e de todos os ditos.
E, no outro dia, não só no lençol, como no corpo, tatuado, com a caneta de tinta permanente que insistentemente lhe escrevia a vida: "enrola-te, no meu abraço"...
Deixou que a água lhe escorre-se pelo ventre nu e levasse com ela a tinta.
Saiu de casa, apressado,  a apanhar o último autocarro...mas a esquina já tinha engolido as horas. Ficara um única frase, na paragem, vazia...reconheceu-a de imediato pela postura: sentada muito direita e rodeada de vírgulas..."enrola-te no meu abraço!"
Pegou nela e sem mais remédio, levou-a consigo...

8 comentários:

  1. O melhor texto que li nos últimos tempos.
    A música escolhida surte um efeito nítido do que o texto encerra. Tive que me abstrair dela para ler e reler. O bailado, uma das artes que aprecio, ignorei-o para dar a devida atenção ao seu texto.
    Parabéns!
    Foi um acordar em sintonia.
    Bj.

    ResponderEliminar
  2. Ana,

    Tentei que fosse uma dança, mas forte, com uma vertente um bocadinho para lá da leveza da dança...por ser de abraço.
    Gosto que tenha gostado
    Obrigada
    Bj

    ResponderEliminar
  3. Voltei!... :)

    Para me embaraçar e perder-me nos seus escritos, sempre plenos de imaginação e uma lógica interna extraordinária.

    As vírgulas...elementos fundamentais num texto...e 'enrola-te no meu abraço',diz-se que não há nada de mais afectivo que um abraço...Soberbo!

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  4. Uma pequena frase que gostaríamos todos de ouvir muitas mais vezes!
    Uma frase, um sonho e um despertar ligados por uma mesma ideia...a do abraço.

    ResponderEliminar
  5. Belo texto, e que bem se relaciona com a dança!

    Gostei muito.

    ResponderEliminar
  6. Olinda,

    Sempre bom vê-la por aqui, nas voltas virtuais, destes abraços internautas.
    Obrigada

    mfc,

    O despertar dos afectos, que se querem apertados num abraço. Sempre. Também nos sonhos.
    Volte sempre,
    Obrigada

    A Matéria dos livros,
    (um extraordinário título para um blogue)
    A dança na intensidade do abraço.
    Gosto que goste

    Obrigada

    ResponderEliminar
  7. Bela mistura de sonho e realidade, com uma actitude determinada a fechar. Muito bonito o seu texto, parabéns.

    ResponderEliminar