Pesquisar no Blogue

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A Crise e o Palácio de Belém

(D. Carlos, 29 de janeiro de 1892)

13 comentários:

  1. Filipa

    Fantástico!!!
    Parabéns pela postagem histórica.
    Os políticos portugueses precisam colocar isso em prática!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Uma questão de exemplo e de princípio!
    Dá-me licença de utilizar a imagem...?
    Cordialmente,
    PAL

    ResponderEliminar
  3. Paulo de Abreu e Lima,

    Como estamos em crise outra vez...aguardamos então o exemplo e o princípio...sentados!
    Faça o favor de utilizar a imagem, que também me foi cedida por e-mail.

    ResponderEliminar
  4. Grato, Filipa (pode ser só assim, ou tem de ser Vera Jardim...?:)

    (Ainda descobrindo o seu blogue, que vai já para as minhas leituras)

    Obrigado,
    P.

    ResponderEliminar
  5. O nosso Aníbal ainda foi mais generoso... Levou 22 com ele para o Paraguai. Provavelmente para os convencer a seguirem o conselho do secretário de estado da juventude. Pelo menos fez o esforço de lhes pagar as viagens, mas como o bilete era de ida e volta, ninguém deverá ter ficado por lá...

    ResponderEliminar
  6. Paulo de Abreu e Lima,

    Filipa sim.(não uso o segundo nome próprio) O Vera é apelido. George Sand para a blogosfera.
    Não tem nada que agradecer. Também me foi cedido.

    ResponderEliminar
  7. CBO,

    De certeza que ninguém ficou por lá. Ainda se o bilhete fosse para Punta del Este...

    ResponderEliminar
  8. Se queremos exemplos destes, é simples, basta devolver a chefia de estado á casa real. Recentemente a monarquia espalhola teve um gesto semelhante.É hora de pôr fim a esta republica que em cem anos nos deu: 16 anos de caos e ditadura democratica, 50 anos de ditadura fascista,e trinta e tal para nos tornar em pavões faustosos mas de pé descalço.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo,

    A Monarquia é um sistema que funciona em muitos países. Teria que ser alvo de um referendo. Mas é uma hipótese tão credível e tão possivel como a República.
    Pessoalmente, já vivi quer numa quer noutra.

    ResponderEliminar
  10. Por enquanto as viagens de só ida ainda são exclusivo das agências funerárias e não foi isso que eles compraram. Foi pena !...

    ResponderEliminar
  11. Já conhecia.
    Este Rei era um tonto.
    Prescindir de mordomias, de parte do salário?
    Que disparate!! :)))
    (E ouve-se em fundo - onde é que estão as minhas acções do BPN??)

    ResponderEliminar
  12. José Sousa a Silva,

    É verdade as agências funerárias têm esse "exclusivo" extraordinário, que afinal todos dispensamos...

    Pedro Coimbra,

    Se fossem só as do BPN...parece que o "afundamento" hoje, é democraticamente generalizado...

    ResponderEliminar