terça-feira, 10 de setembro de 2013

Curvas, de encontro às janelas




Sabia que existiam. Tinham-lhe contado.
Partes arredondadas do mundo que entrevia, por detrás dos pesados reposteiros, com borlas do feitio da lua, de cada lado, desbotadas.
Sabia que existiam, mas nunca as tinha visto.
Não porque não as procurasse insistentemente.
Curvas. Contracurvas.
Bocados côncavos e convexos de mundo que chocavam com as portadas, bem cerradas, das suas janelas.
Agrupavam-se lá fora, sabia, numa imensidão. Como se o mundo se pudesse fazer, para lá de todas as rectas. Não obstante,  as paralelas…

16 comentários:

  1. Curvo-me perante a excelência do texto.
    Boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Pedro Coimbra. Uma boa semana a Oriente!

      Eliminar
  2. Os seus escritos, são como que novelos que apetece desenrolar,à procura de um príncipio.E ele está lá sempre!
    Quando assim acontece venha tudo, até mesmo as paralelas!
    Obrigada sempre pelas excelentes partilhas.Bjo.

    ResponderEliminar
  3. Essas rectas... paralelas, são aquelas que num ponto do infinito; se tocam?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podem ser Bartolomeu. Podem ser. Haja horizonte...
      Obrigada

      Eliminar
  4. Não obstante as paralelas que se podem unir em tantos semi-arcos...

    Beijinho (nunca abrevio um beijo)

    ResponderEliminar
  5. Conheço paralelas
    que se encontram

    de quando em vez

    por vezes curvas
    porque a vida não é uma recta

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vida, com as voltas que se dão e as reviravoltas que se aceitam.
      Bj e obrigada

      Eliminar
  6. palavras de suave vibração - como se habitassem o "interior" de um desenho de Niemeyer....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada heretico. Gosto muito de Niemeyer. As curvas de Niemeyer lembram-me sempre o museu...em Curitiba

      Eliminar
  7. O mundo a fazer-se redondo, mesmo achatado nos pólos. Para alá das rectas, novos horizontes.
    E as palavras arredondadas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem muitas arestas, as palavras...
      Obrigada AnaMar.
      Bj

      Eliminar
  8. Maravilhosos descaminhos por onde nos levas com os teus textos. Obrigada por nos depores assim na paisagem e aragem dos pensamentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada João "alguém". Finalmente a tua escrita!
      Bj

      Eliminar