Pesquisar no Blogue

sexta-feira, 7 de março de 2014

Horizonte



Pedem-me que alcance o horizonte. Por cima de todos os cinco mares.
Como se o horizonte, não estivesse no fundo, rotativo, do infinito.
Como se os cinco mares, não se dessem as mãos, em toda a sua lonjura. E a água, não soubesse voar...


A fotografia é do Pedro Soares de Mello

8 comentários:

  1. Gostei muito deste horizonte.
    Parabéns.
    Bom fim de semana.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Ana.
      Um bom fim de semana para si, também,

      Eliminar
  2. É a vontade de voar que determina que possa alcançar o horizonte,mesmo se os cinco mares se unem para o impedir!Um bjo Filipa e obrigada por estes desafios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se é mais a necessidade, Concha.
      Obrigada eu.
      Bj

      Eliminar
  3. apesar de tudo, por vezes "parece" que mora no olhar dos poeta...
    muito belo. e sábio teu texto.

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada herético.
      Errante o olhar de todos os poetas. Como o mar...

      Eliminar
  4. Nada é inútil

    nem a sombra das pontes

    Bjs

    ResponderEliminar