Pesquisar no Blogue

segunda-feira, 28 de maio de 2012

A tua vida, numa paleta







Não fora  isso, estaria tudo bem.
Uma paleta de recados, ordenados, por um sistema gradativo e colorido. Perfeitamente inteligível, sem o castanho, o cinza, e as nuances de pálidos luares.

Nada mais haveria a acrescentar, a essa tua paisagem de sempre azul.  Além do céu e do mar.
Nunca tinha assistido a um pincelar de raivas, de claridades, e de expectativas...sempre azuis.

Sempre soube  que nunca desenharias nada. O traço mais ou menos irregular, fazia-te cócegas nas ombreiras da vida.
Melhor espalhar desordenadamente os  pigmentos, na paleta imprecisa, de mais uma viagem.
Pois claro que entornaste tinta!
Pois claro que nunca mais soubeste onde deixaste os matizes de lilás!
Agora não precisas de mais matizes de lilás...
Basta que preenchas tudo,  nas ausências, de negro e branco. Ou nas raras presenças,  escorridas ainda, pelos pincéis.
Experimenta as presenças escorridas pelos pincéis, hoje que a vida se te faz de novo e ainda,  paleta.
E nunca te esqueças: a luz num ego brilhante, que se quer lunar.
Amanhã, alguém te cobrirá a tela de invisível silêncio
Quero ver o que pintarás depois...

28 comentários:

  1. Nem sempre sabemos o que fazer com tanta cor... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a vida tem tanta cor luisa, tantos matizes... é preciso explorar bem a paleta.
      Obrigada.
      Bj

      Eliminar
  2. "...Besa el aura que gime blandamente
    las leves ondas que jugando riza;
    el sol besa a la nube en occidente
    y de púrpura y oro la matiza;
    la llama en derredor del tronco ardiente
    por besar a otra llama se desliza;
    y hasta el sauce, inclinándose a su peso,
    al río que le besa, vuelve un beso ..."

    outras cores, do Bécquer.

    ( a sua paleta é lindíssima )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Fernando Antolín.
      Pelo poema, também.
      Bj

      Eliminar
  3. É verdade tanta cor! Qual será a mais equilibrada?
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa pergunta?
      Talvez os matizes de lilás, com aroma de lavanda :)
      Bj e obrigada Ana

      Eliminar
  4. Na paleta convém que estejam todas as cores.Só assim umas vão dando lugar às outras conforme a criatividade de quem a utiliza.Há que ter presente quais as cores essenciais,para que essas prevaleçam sempre.Mesmo assim por vezes elas misturam-se e surge a indecisão quanto à escolha.A tela está sempre limpa,para que possa ser preenchida com tons fortes, mas também com as várias nuances dos mesmos.Quando a tinta escorre da paleta, que fazer?Talvez deixá-la seguir livremente até que páre.Quando a tela estiver totalmente preenchida será objecto de olhares luminosos e cúmplices por uma paleta que cumpriu a sua missão.
    Continuo positivamente surpreendida com o modo como escreve!É um prazer lê-la!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Concha.
      Talvez a paleta e as cores representem as escolhas. Feitas em movimentos largos de pincéis.
      Os matizados são empre mais arriscados, mas muito mais bonitos
      Ainda bem que gosta.
      Bj

      Eliminar
  5. Nem sempre comento, mas gosto de vir até aqui e ler um pouquinho. Obrigado pelos belos textos!
    De vez em quando também pinto :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por passar Luis Bonito.
      As cores são boas companheiras. Boa pintura!

      Eliminar
  6. Só com Luz temos cores e paletas, e até bastam três para termos todas as outras. Será problema meu, ou vejo uma pincelada trágica nesta bela paleta...? «Amanhã, alguém te cobrirá a tela de invisível silêncio. Quero ver o que pintarás depois...» Aqui fiquei perplexo. Mas já vi que lá mais para trás, doces quadros foram magistralmente pincelados... Parabéns! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Paulo,

      "Só com luz temos cores e paletas, e até bastam três para termos todas as outras", desde que estejamos dispostos a descobri-las e, a arriscar as misturas.
      Há sempre a possibilidade de pintar magistralmente. Mas nste caso perderam-se os matizes...
      Bj

      Eliminar
  7. Censuro-me por falta de talento inato para as artes criativas, pintar?, pintar a minha vida nas cores e com os traços que a voluntas me dispõe?, mesmo que eu use a esquerda o resultado será sempre pessoal o meu eu disposto em cores e traços meus, por definição o meu mundo assim como o sinto e como o vejo, bem ou mal é o que é por mais catastrófico e absoluto que pareça,

    vou pintar o meu passeio de tarde e em dois baques de coração darei comigo em campos verdes em fim, num vale fundo entre montanhas tingidas sem cor lá no topo,

    ate já, cumprimentos,
    JD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pintar por cores, por palavras, por sons ou por silêncios, será sempre uma tarefa pessoal. Por mais absoluto que pareça, ou que pretenda ser.

      Que bom a pintura de fim de dia, entre campos sem fim. Quem me dera.

      Até já James Dillon
      Obrigada

      Eliminar
  8. Sempre a tentação de descobrirmos o devir!!
    A paleta ali está à mão, mas o que dela sairá nunca o saberemos... a não ser na hora certa!

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão difícil a hora certa,o tempo correcto da secagem. As camadas de cor e de transparência...tão difícil.
      Obrigada mfc

      Eliminar
  9. Uma bela paleta de azuis

    a preto e branco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como se fossem azuis neutros. De quem tem medo de anilados...
      Obrigada

      Eliminar
  10. O ideal é usar a cor que estiver mais perto...a mistura da mesma com a que já existe na tela, trás sempre uma cor nova...
    Gostei muito, muito mesmo!
    Um beijo
    Sónia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Sónia.
      Pensando nas metáforas que tinha em mente quando fiz o texto, não vou mesmo usar a cor que está mais perto.:) Mas é muito bom ver as diversas leitura que um mesmo texto pode ter.
      Gostei da ideia da tela em branco.
      Gosto que goste.
      Obrigada
      Bj

      Eliminar
  11. Talvez todas as cores tenham um tom monocromático
    Talvez toda a palavra seja uma experiência invasiva

    Não fora isso, estaria tudo bem.

    Bjo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipe Campos Melo,

      Talvez seja assim...até que se reinvente, outra vez, uma forma suave de pintar cores em palavras. palavras em cores...pode ser que exista...

      Eliminar
  12. Gostei muito deste texto. Lembra-me daqueles que se esqueceram das cores da sua paleta...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E as cores secam Isa. As cores secam em cima das paletas...
      Obrigada

      Eliminar