domingo, 2 de fevereiro de 2020

A casa Amarela



A casa era amarela.
Amarela de sol e de luz, que lhe entrava de rompante e se acomodava por todo o dia. Por instantes, a casa embalava-nos as fantasias, balançava-nos a imaginação. Deixava-nos escorregar os sonhos por entre os corredores e a sombra frondosa das palmeiras do jardim.
A casa amarela era uma casa grande e cheia. Ocupava lugar de destaque Todos os recantos estavam repletos. Da cozinha, à sala. Das traseiras, à memória


in " São Martinho do Porto"
       Momentos

Imagem: La fenêtre chez Bataille Vincente Van Gogh 1887

Sem comentários:

Publicar um comentário