Pesquisar no Blogue

domingo, 31 de agosto de 2014

Brevíssima viagem



Ainda há pouco te dizia...não tem preço esse meu horizonte. Traçado assim, longitudinalmente, à tua brevíssima viagem.



(quadro: "Onemt VI" de Barnett Newman )

8 comentários:

  1. O tempo é sempre curto, para o que preenche a própria essência!Beijinho FVJ.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre curto o tempo, Concha. Convém que seja bem traçado, o rumo.
      Beijinho e obrigada

      Eliminar
  2. Será possível colocar o preço a um horizonte?!
    Mesmo tratando-se de um horizonte atingível...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há que os compre e quem os venda...infelizmente. Sendo que ficam curtos esses horizontes.
      Obrigada Bartolomeu

      Eliminar