terça-feira, 29 de setembro de 2020

Água


Encontrei-te parado. O olhar à espreita e as lágrimas que te rompiam horizontes pelo queixo abaixo. -O que se passa? - Não te sei dizer. Foi uma emoção que chegou assim e se aconchegou ao meu olhar transformando tudo em água. Penso agora apenas rios e efectivo maresia em tudo o que faço. O tempo é para mim um lago de água calada e o meu lugar um espaço de ribeiro, tão breve. Se te disser que em ti vejo uma pequena baía acreditas? - Claro que sim. As baías são lugares onde desagua tudo. O mar, as lágrimas, os caminhos e os horizontes. Sem baías o mundo ficaria seco. Definitivamente, seco. Pintura : "Impressão, nascer do sol" de Claude Monet

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. sem as baías, ficaria sem dúvida.
    ... e as inesperadas enseadas, também.

    ResponderEliminar
  3. É assim!
    Por vezes surgem do nada,mas bem alicerçadas e doces.Transportam memórias que desejávamos reais.
    Partem como chegaram,deixando um olhar aguado,mas feliz por nada terem destruído à sua passagem.
    Deixam a saudade e partem cumprindo-se!
    Belíssimo este Claude Monet
    Obrigada!

    ResponderEliminar