Pesquisar no Blogue

sábado, 9 de maio de 2015

Recta absoluta


Devagarinho, acomodou-se ao nicho.
As pernas de encontro ao queixo, no único lugar que lhe permitiria permanecer, até que a luz, o invadisse de novo.
Toda a noite as badaladas ecoaram um sibilante: tzim tzum, tzim tzum, tzim tzum sem que uma única fresta lhe traçasse caminho.
Seria qualquer um, menos a o da escuridão. Tizm tzum, tzim tzum, tzimtzum…
Adormeceu algures, entre a terra, o seu coração e a eternidade, embalado pela branda presença do som, que lhe lembrava um outro amanhecer .
Quando acordou reparou que a única porta fechada, lhe estendia uma recta absoluta. Com os olhos semiabertos, decidiu-se então,  a andar…


A fotografia é do Luís Leal

13 comentários:

  1. Extensões interiores que se alcançam de olhos fechados. Mas o que fica para lá da linha reta do horizonte?
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miss Smile,
      Talvez a vontade de escutar...tzimtzum . Uma sugestão. Apenas e só uma mera sugestão. Os textos podem ter tantas interpretações quantos os leitores.

      (tzimtzum é um termo do livro do Bahir. É um termo cabalístico pré-Zohar).

      Beijinho e obrigada

      Eliminar
    2. É verdade, há tantas interpretações como leitores. E nós sempre lemos o que vivemos e interpretamos o que sabemos. A sua oportuna sugestão, que muito agradeço, pois desconhecia o termo e o seu significado, trouxe uma nova luz à leitura do seu lindíssimo texto. A fina linha reta, a contração da Luz Infinita que permite a criação de realidades independentes, o livre arbítrio…

      Beijinho

      Eliminar
  2. ~ ~ ~
    ~ Poderão haver justas e inteligentes interpretações de especialistas
    de áreas nobres do pensamento, como a filosofia, teologia, mística
    surrealista, astrologia cabalística, 'tarologia'...

    ~ Para mim, o texto refere-se a um sem-abrigo que se resguardou
    num nicho minúsculo para o seu corpo e passou uma noite péssima,
    em posição fetal, com o tiquetaque de um relógio infernizando a sua
    pobre mente cansada...

    ~ Ao alvorecer, ainda semi-adormecido, reparou numa porta, que
    brevemente se abriria, numa linha recta absoluta, na sua direcção...
    Teve noção que estava na hora de partir e, cambaleando, procurou
    outro pouso.

    ~ ~ ~ Com simpatia... ~ ~ ~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,

      Mas é exactamente isso: um sem abrigo, que se resguarda num nicho. Passa a noite a ouvir um tique taque e parte...dali, ou de si.
      Muito obrigada pela sua visita e comentário ao texto.
      Volte sempre!


      Eliminar
  3. ao chegar ao fim da linha, porventura será outro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bem possível herético. É bem possível :)
      Obrigada pela visita

      Eliminar
  4. O som torna-se mágico quando é melodioso. Este texto tem melodia e um caminho.
    Um abraço.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Ana.
      Todos os caminhos que lhe quisermos dar.
      Bj

      Eliminar
  5. Há noites de trevas e amanheceres de esperança defenidos por linhas que podem tomar sentidos únicos!

    ResponderEliminar
  6. Também há Concha. Felizmente.
    Obrigada.

    ResponderEliminar