Pesquisar no Blogue

sábado, 11 de outubro de 2014

Penas e pássaros




(…)De repente a mulher que todos os dias me vendia o pão, era uma garça. E por todo o lado só se viam penas e pássaros, penas e pássaros, penas e pássaros.Uma infinidade de penas e de pássaros, numa cidade, que amanhecia a voar.

11 comentários:

  1. A garça é uma ave cheia de graça... quer dizer, é uma ave graciosa, elegante... estilosa.
    Agora... que os bebés eram trazidos de Paris nos "bicos" das cegonhas... já sabia. Não sabia é que andavam garças a entregar pão de porta em porta.
    Mas pronto, o que é preciso é que o pãozinho chegue fresquinho.
    Agora... o que era inteligente, era as duas aves fazerem uma sociedade e a cegonha trazer uns croissants para complementar o negócio.

    ResponderEliminar
  2. Já está pensado Bartolomeu. Croissants e petit fours a caminho!
    Obrigada

    ResponderEliminar
  3. Todos os negócios de sucesso possuem uma chave mágica que os faz abrir, é a chamada Magia das Chaves. A propósito, dizem que a chave é um símbolo mágico, por ser o objeto que possibilita a abertura da porta que dá acesso a um espaço que poderá estar para além do tempo. Talvez por isso, a planta do mosteiro da Batalha configure uma chave. Ou então, não passa de uma coincidência...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca há coincidências Bartolomeu.
      Há mesmo chaves, que abrem quase tudo e...quase todos.
      Obrigada

      Eliminar
  4. pão de partilha, que faz a cidade voar

    apesar tudo (penas e pássaros)...

    gostei muito

    ResponderEliminar
  5. de repente tudo muda e até os humanos são capazes de voar com os pássaros....


    muito belo!

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sobretudo os humanos, são capazes de voar. Desde que não se esqueçam disso.
      obrigada

      Eliminar
  6. Quando o mar está bravo,as garças voltam a pousar em terra.Vão-se umas penas e surgem outras.Espera-se que nessa renovação, a garça não deixe de voar.É assim que surgem outros encontros, outras oportunidades.Sinceramente é sempre um prazer lê-la.Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo...que nunca deixem de voar.
      Obrigada Concha.
      Beijinho

      Eliminar
  7. Sim, não se podem esquecer os homens (e nós, entre eles....) de que têm penas e asas... beijinhos

    ResponderEliminar