Pesquisar no Blogue

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Absoltuto


Quantas vezes posicionarão eles o infinito, para que o meu luar, seja realmente eterno?
Sentou-se de pernas cruzadas e desenhou um x, no lugar onde o mundo, sendo uno, se vestia agora de lua nova e percebeu que ninguém poderia ser excluído. Absolutamente ninguém. Nem a sua própria identidade, fosse como fosse.
Para isso, bastaria apenas que cada um dos deuses, se e absolutamente se… pronunciasse.

(a fotografia foi tirada da internet)

terça-feira, 20 de outubro de 2015

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Limite


Viverei no único lugar que não tenha raízes, nem terra, nem braços de árvores sibilantes, nem colinas desvairadas à procura de um caminho.
Viverei no único lugar que não tenha caminho. Somente permanência,… Feita de ondas temperadas, em cadência firme, de vento de abraço e de sopro de mar.



(´Fotografia de André Boto)

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Se um dia me perder



Se um dia me perder,
Remetam-me em viagem,
A mim, que ainda não me sei.
Se um dia me perder,
Porque a seu tempo…...
Eu me acharei.

Filipa Vera Jardim.

(na fotografia, algumas das 5500 crianças austríacas, refugiadas de guerra, acolhidas em Portugal entre 1947 e 1952 ao abrigo do programa da Cáritas)